Arquivo do mês: novembro 2013

Janeleiro

 

Geraldo Maia e Rodrigues Lima

 

Da janela eu vejo a rua

Vejo a noite enluarada

Vejo o céu de carneirinhos

Os pardais em revoada

Vejo os pássaros nos ninhos

Vejo linda madrugada

Da janela eu vejo a rua

Os casais enamorados

As mariposas voando

Os postes iluminados

Vejo os gatos barulhando

Namorando nos telhados

Bendita seja a janela

Bendito seja o luar

Bendito seja o amor

Que ela tem para me dar

Bendita seja a janela

Lugar que gosto de estar

 

Da janela eu vejo ao longe

Quem vem do lado de lá

É ela que vem cantando

Com vontade de chegar

Ela chega me abraçando

Sedenta para me amar

Da janela eu vejo o sol

Que surge por trás da serra

Vem trazendo a energia

Que alimenta a terra

Da janela eu vejo a paz

Que quer sufocar a guerra

Bendita a janela

Bendito seja o luar

Bendito seja o amor

Que ela tem para me dar

Bendita seja a janela

Lugar que gosto de estar

Deixe um comentário

Arquivado em Outros poetas, Poesia