Minha mãe, poeta

Quimeras


para Dadá

A tarde segredou-me
Inconfidências
Contou-me, com pudor,
Como as árvores trocam carícias
Enlançando os galhos
Com delicadeza.
Falou-me com rubor
Do cio estridente das cigarras
E do dialeto incompreensível dos insetos.
Ah, a tarde lamentou a visita
Esporádica da lua
e a frustração
De não encontrar estrelas.
E disse-me também
Como são tristes
As tardes da cidade.

Ver o post original

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Outros poetas

5 Respostas para “

  1. Gosto do que você escreve. Sinto a sensibilidade nas palavras. Palavras que sentimos com sentimento, que ultrapassam o simples entendimento da palavra. Parabéns.

    Curtir

  2. Muito belo! Fiquei mui bem impressionado com as imagens oferecidas.

    Curtir

  3. roseoliveira

    nada. como ter uma mae poeta maravilhoso

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s