Eu que me aguente comigo e com os comigos de mim…

Contudo, contudo,
Também houve gládios e flâmulas de cores
Na Primavera do que sonhei de mim.
Também a esperança
Orvalhou os campos da minha visão involuntária,
Também tive quem também me sorrisse.
Hoje estou como se esse tivesse sido outro.
Quem fui não me lembra senão como uma história apensa.
Quem serei não me interessa, como o futuro do mundo.

Caí pela escada abaixo subitamente,
E até o som de cair era a gargalhada da queda.
Cada degrau era a testemunha importuna e dura
Do ridículo que fiz de mim.

Pobre do que perdeu o lugar oferecido por não ter casaco limpo com que aparecesse,
Mas pobre também do que, sendo rico e nobre,
Perdeu o lugar do amor por não ter casaco bom dentro do desejo.
Sou imparcial como a neve.
Nunca preferi o pobre ao rico,
Como, em mim, nunca preferi nada a nada.

Vi sempre o mundo independentemente de mim.
Por trás disso estavam as minhas sensações vivíssimas,
Mas isso era outro mundo.
Contudo a minha mágoa nunca me fez ver negro o que era cor de laranja.
Acima de tudo o mundo externo!
Eu que me aguente comigo e com os comigos de mim.

Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa


Anúncios

6 Comentários

Arquivado em Outros poetas

6 Respostas para “Eu que me aguente comigo e com os comigos de mim…

  1. eu sou

    A unica coisa que eu nao entendo porque nao nos deixam em paz, gritam porque sabem q perderam duas pessoas especiais. Somos fortes, precisamos de mais dialogos diretos, p q essas brechas saiam fora das nossas vidas. Isso e muito importante. Independente do nosso futuro. Estou preparada para tudo. So precisamos fechar essas janelas. As nossas vidas nao podem ser de altos e baixos. I love you!!!!

    Curtir

  2. Paulo Roberto Stockler

    É muito assim.
    O cara era sensacional!
    Bom que vc me (nos) brinda com essa forma poética de ver a vida, através de Pessoa, p.ex., contundente, mas belo.
    Beijo e obrigado!! =)

    Curtir

  3. Elton Uliana

    Me lembra um pouco o tormento de “Cruzou por mim, veio ter comigo numa rua nda Baixa” , ha uma imensa simpatia precisamentew pelos que nao merecem simpatia, como o poeta!

    Curtir

  4. Daniel

    “Coitado do Álvaro de Campos”, sempre tentando o impossível de encontrar pelo caminho o que perdeu de si.

    Curtir

  5. Anônimo

    Adoro Fernando Pessoa

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s